BIBLIOTECA TÉCNICA

Aplicações Gerais

Confira todos os artigos técnicos sobre essa aplicação

A presença do aço inox nos mais variados setores da atividade humana é tão extensa e comum que a maioria de nós não percebe o quanto interagimos com esse centenário material, direta ou indiretamente, durante o dia a dia. Do acordar, ao café da manhã, do almoço ao jantar, entre as atividades de casa e trabalho, até o momento de nos deitarmos, em algum momento, o inox está presente proporcionando conforto, saúde e bem estar.

Quem acorda todos os dias e pega o carro para a labuta nem sempre se dá conta da quantidade de objetos, máquinas e aparelhos que trabalham ou produziram para que o cidadão alcance o destino em segurança e padrões mínimos de conforto. A gasolina ou o etanol que movem os veículos, particulares ou coletivos, foi prospectada em campos de petróleo ou destilado em usinas que dependem do aço inox para a condução dos insumos.

Visíveis ou invisíveis, ocultos ou transparentes, o aço inox conquista nossas vidas, inclusive nas férias. Se o justo descanso inclui deslocamentos, lá estará o inox em quase todos os meios de transporte: ônibus, trens, navios, barcos e aviões. Chegando no destino, começa a rotina de prazeres, na mesa, na piscina, na praia e nos passeios.em mente que vão produzir uma peça mecânica, que será introduzida no corpo humano. 

Para os que querem admirar a passividade natural contra a corrosão, o turismo do aço inox encanta milhões de viajantes em vários sítios do mundo. Esses viajantes incomuns estão atrás de obras de arte, edificações e esculturas onde o belo e o inusitado se destacam. Nas férias ou em viagem de turismo de negócios, as atrações estéticas podem incluir um passeio por uma ponte, uma visita a uma igreja matriz, a um prédio residencial ou a um museu.

 A pira olímpica, de aço inox, o maior símbolo dos jogos, iluminou uma escultura que ficou na Candelária enquanto os atletas disputavam as medalhas da Rio 2016. A escultura cinética de aço inox que se movia com o vento, criada pelo artista americano Anthony Howe, refletia a luz da chama em placas e esferas metálicas giratórias.

Para os que querem admirar a passividade natural contra a corrosão, o turismo do aço inox encanta milhões de viajantes em vários sítios do mundo. Esses viajantes incomuns estão atrás de obras de arte, edificações e esculturas onde o belo e o inusitado se destacam. Nas férias ou em viagem de turismo de negócios, as atrações estéticas podem incluir um passeio por uma ponte, uma visita a uma igreja matriz, a um prédio residencial ou a um museu.

 A sociedade moderna depende da energia elétrica. O trabalho, o conforto, o bem-estar e o lazer dos agentes sociais estão sujeitos ao sistema elétrico. Seja qual for a matriz – hidrelétrica, eólica, solar, nuclear ou de biomassa – a geração de eletricidade envolve a utilização de recursos naturais e de materiais especiais, como o aço inoxidável. Viabilizando a concepção de turbinas, rotores, reatores, exaustores e aquecedores solares mais eficientes, com menor peso e maior durabilidade, o aço inox contribui para a geração e conservação de energia elétrica.

 Todo o ano, a indústria de shoppings ergue dezenas de novos empreendimentos, investe bilhões de reais e gera milhares de empregos. Nos últimos anos, vem aplicando recursos em estacionamentos automatizados, geolocalização de visitantes e melhoria de processos.

 Com um faturamento na casa das centenas de bilhões de reais por ano, o segmento de supermercados busca responder às demandas dos consumidores com mudanças estratégicas. O setor sabe que as motivações de consumo obedecem ao acesso de informações ao alcance do comprador e às possibilidades tecnológicas, mas o ambiente de compras precisa oferecer uma experiência sensorial na loja física

 Ao contrário da pesca industrial ou de subsistência, a pesca esportiva ou recreativa exige pouco do praticante: vara, carretilha, linha, anzol, isca e um boné. Só que não é bem assim. A maioria dos pescadores ataca a questão – atrair um peixe – com a maestria de um artista ou a perícia de um engenheiro. E vale contar com a ajuda do inox, presente numa infinidade de apetrechos, instrumentos e aparelhos para capturar a criatura aquática

A internet, a TV e as publicações estão repletas de projetos de decoração para quem deseja pintar, construir, montar, substituir ou fixar objetos em casa, no escritório ou no jardim. E há os que se apaixonam pelas ferramentas. Organizam tudo na oficina, penduram os apetrechos na parede, guardam os instrumentos em armários e caixas, cuidam das bancadas e mesas, se interessam por escadas e carrinhos de apoio.

Entre os protagonistas do Carnaval estão as escolas de samba. A arte dos desfiles está presente nos carros alegóricos e nas evoluções. Mas como seria sambar se não houvesse uma bateria? Equipamentos como surdo, caixa, agogô, repique, prato, cuíca, pandeiro e chocalho incorporam o inox como material de acabamento, no quesito estética, ou por resistência à corrosão para garantir a durabilidade por muitos carnavais.

No mundo da bola, o inox está presente nas arenas do Brasil e espalhado por vários estádios do mundo. Nos modernos parques esportivos o aço inoxidável aproxima o torcedor do design limpo e do material resistente, apropriado para uma torcida apaixonada. Além dos gradis, corrimãos e fachadas, o inox entra em campo e protege a área técnica no abrigo dos jogadores, vai até as catracas e os aparelhos de fisioterapia dos centros de treinamento.

As principais festas temáticas no Brasil nasceram de influências de fora com a notável exceção da festa dos bois de Parintins, no interior do Amazonas. Mas isso vem pouco ao caso, porque o que chama a atenção nessa história é o avanço do inox nos bastidores dessas festas. A presença em estruturas de arquibancadas ou na armação de carros alegóricos traz o inox para a avenida dos acontecimentos mas, na maior parte dos casos, o principal interesse gira em torno dos alimentos e das bebidas.

Desde o surgimento do comércio num clique, a cadeia de varejistas em lojas físicas fizeram adaptações e muitas saíram à procura de materiais mais leves como o inox para a arquitetura de interiores. Atrás do balcão, o comerciante celebra a opção por um material robusto, de fácil manutenção e com várias opções de acabamento. Nas vitrines, o inox brilha e ilumina.

Aparentemente inofensivo, a utilização do canudo de plástico se transformou em um grande problema ambiental. Segundo o relatório britânico Foresight Future of the Sea Report, estima-se que 10 milhões de toneladas de materiais plásticos cheguem aos oceanos anualmente, sendo que desses mais de 100 mil toneladas sejam de canudos de plásticos descartáveis. Por ser feito de polipropileno e poliestireno (plásticos), não é biodegradável, podendo levar até mil anos para se decompor no meio ambiente!

administrador

Associação Brasileira do Aço Inoxidável tem como objetivo primordial incentivar a utilização de aço inoxidável nos diversos segmentos de mercado. 

CONTATO